Voltar

 

Após participar de trabalhos musicais de vários artistas, em 2001, lança o CD “Alma Feminina” uma coprodução com Victor Chicri (Cássia Eller, Gal Costa e Luiz Melodia). 

Neste CD, além de composições inéditas, Silas Rodrigues gravou uma nova versão para San Vicente de Milton Nascimento e Fernando Brant, e a relíquia Nova Ilusão composta em 1941 por Pedro Caetano e Claudionor Cruz, que conta com a participação dos integrantes do lendário “Época de Ouro”. 

O CD conta também com a participação do guitarrista Victor Biglione e do cantor e compositor Cláudio Nucci. Além do Brasil, este trabalho ganhou elogios também na Espanha e Itália. 

Em 2007, lança o livro infanto-juvenil Mão de Moleque , com passagem pela Bienal do Rio de Janeiro. 

Em 2008, viaja com o espetáculo Mão de Moleque baseado no livro homônimo.

Em 2009, Silas Rodrigues compôs e gravou no estúdio Cantos do Trilho, em Santa Teresa, a trilha para a ópera rock "dos meus bichos de sombra", com o autor nas guitarras, violões, vozes e programações, Márcio Iácovo, baixo, Pedro Garcia, bateria e participações especiais de Marcio Mallard, cello, Bebeco, guitarra havaiana e Mc Aori. 

Em 2012 lança seu último romance, Biografia de um ilustre marginal ou crônicas de um anti-herói. Uma crítica ao automatismo que trivializa a vida e oblitera a individualidade. 

Em seu último trabalho, o CD Inverso, Silas Rodrigues trabalha com os opostos. A sonoridade dividida entre as guitarras distorcidas de Bruno Pederneiras e o cello de Márcio Mallard, gira em torno da reflexão e contestação.